Friday, August 2, 2019

PT -- Manlio Dinucci -- A Destruição do Tratado INF e a Chegada de Novos Euromísseis. Europa Cúmplice.

A Destruição do Tratado INF e a Chegada de Novos Euromísseis. Europa Cúmplice
Manlio Dinucci

O Secretário de Estado, Mike Pompeo, anunciou ontem, após seis meses de suspensão, a retirada definitiva dos Estados Unidos do Tratado das Forças Nucleares Intermediárias (INF), acusando a Rússia de “violá-lo, deliberadamente, colocando em risco os interesses supremos dos EUA”. A notícia recebeu, em Itália,  pouca cobertura política e mediática (a ANSA dedicou-lhe algumas linhas). No entanto, estamos perante uma decisão que tem implicações dramáticas para a Itália, exposta, juntamente com  outros países europeus, como a primeira linha de um novo confronto nuclear USA-Rússia, não menos perigoso do que o da Guerra Fria.
O Tratado de INF, assinado em 1987 pelos Presidentes Gorbachev e Reagan, eliminou todos os mísseis nucleares de curto alcance e alcance intermédio (500 a 5500 km),com base no solo, em primeiro lugar, os mísseis balísticos Pershing II, instalados pelos Estados Unidos na Alemanha Ocidental e os mísseis de cruzeiro, lançados do solo, colocados pelos Estados Unidos na Grã-Bretanha, Itália, Alemanha Ocidental, Bélgica e Holanda e, ao mesmo tempo, os mísseis balísticos SS-20 montados pela União Soviética, no seu território.
Em 2014, a Administração Obama acusou a Rússia, sem apresentar qualquer prova, de ter experimentado um míssil de cruzeiro (9M729) da categoria proibida pelo Tratado e, em 2015, anunciou que “perante a violação do Tratado INF da parte da Rússia, os Estados Unidos estão a considerar  a fixação de mísseis terrestres na Europa”. O plano foi confirmado pela Administração Trump: em 2018, o Congresso autorizou o financiamento de “um programa de pesquisa e desenvolvimento de um míssil de cruzeiro lançado, do solo por uma plataforma móvel, que circula em estradas”.
Pela sua parte, Moscovo negou que o seu míssil de cruzeiro violasse o Tratado e, por sua vez, acusou Washington de ter instalado, na Polónia e na Roménia, rampas de lançamento de mísseis interceptores (os do “escudo”) que podem ser usados para lançar mísseis de cruzeiro com ogivas nucleares. Neste contexto, deve ser considerado o factor geográfico: enquanto um míssil nuclear USA, de alcance intermédio, instalado na Europa, pode atingir Moscovo, um míssil semelhante, montado pela Rússia no seu território, pode atingir as capitais europeias, mas não Washington. Revertendo o cenário, é como se a Rússia instalasse mísseis nucleares de alcance intermédio, no México.
 “Os Estados Unidos - disse Mike Pompeo na declaração - apreciam imensamente a constante cooperação e determinação dos aliados da NATO em responder à violação russa do Tratado”. Apreciação merecida: os aliados, incluindo a Itália, declararam a Rússia culpada de violar o Tratado, aceitando,de antemão, a acusação feita pelos USA, sem nenhuma prova real.
O cancelamento do Tratado de INF, também suspenso pela Rússia, em 3 de Julho, insere-se, agora, numa nova corrida armamentista, baseada não tanto na quantidade, mas na qualidade das armas nucleares, dos seus transportadores e da sua deslocação. Fontes militares informam que os Estados Unidos estão a desenvolver novos mísseis nucleares de alcance intermédio, com base no solo, tanto de cruzeiro como balísticos (estes são capazes de atingir os alvos, em 6-11 minutos após o lançamento). A Rússia alertou que, se forem instalados na Europa, apontará os seus mísseis nucleares para os territórios onde esses mísseis estiverem instalados.
A destruição do Tratado INF tem outro propósito estratégico. Revelou-o o próprio Pompeu, acusando a China de fixar (no seu próprio território) mísseis nucleares intermédios, com os quais “ameaça os Estados Unidos e os seus aliados na Ásia”. O Secretário de Estado Pompeo adverte: “Não há razão para os Estados Unidos continuarem a conceder esta vantagem militar crucial a potências como a China”. Os EUA estão, portanto, a preparar-se para instalar novos mísseis nucleares de alcance intermédio, não só contra a Rússia, mas também contra a China. Estes dois países podem responder com a colocação de novas armas nucleares.
É significativa, a posição da Comissão Europeia, que declarou ontem: “Incentivamos a defesa dos resultados do Tratado INF, devemos estar atentos para não tomar o caminho de uma nova corrida armamentista que reduziria os resultados significativos alcançados após o fim da Guerra Fria”. É preciso ter um bom estômago para fazer esta declaração, depois da própria União Europeia ter contribuído para a destruição do Tratado INF: na Assembléia Geral da ONU (em 21 de Dezembro de 2018), a União Europeia, em unanimidade, rejeitou a resolução com a qual a Rússia propunha preservar o Tratado, estabelecendo mecanismos de verificação e negociação. Portanto, a União Europeia deu sinal verde para a instalação de novos mísseis nucleares USA na Europa, incluindo em Itália.
il manifesto, 3 de Agosto de 2019 





«DICHIARAZIONE DI FIRENZE»
Per la creazione di un fronte internazionale NATO EXIT in tutti i paesi europei della NATO


No comments:

Post a Comment



Imagem

PT -- VLADIMIR PUTIN na Sessão plenária do Fórum Económico Oriental

Excertos da transcrição da sessão plenária do Fórum Económico Oriental

índice


“Copyright Zambon Editore”

PORTUGUÊS

GUERRA NUCLEAR: O DIA ANTERIOR

De Hiroshima até hoje: Quem e como nos conduzem à catástrofe

ÍNDICE

me>

FOX NEWS

TRIBUTE TO A PRESIDENT


NA PRMEIRA PESSOA

Um auto retrato surpreendentemente sincero do Presidente da Rússia, Vladimir Putin

CONTEÚDO

Prefácio

Personagens Principais em 'Na Primeira Pessoa'

Parte Um: O Filho

Parte Dois: O Estudante

Parte Três: O Estudante Universitário

Parte Quatro: O Jovem especialista

Parte Cinco: O Espia

Parte Seis: O Democráta

Parte Sete: O Burocrata

Parte Oito: O Homem de Família

Parte Nove: O Político

Apêndice: A Rússia na Viragem do Milénio





Pigeon's comment: I'm very lucky to have the chance to meet my leader
 ...


Daniele Ganser

Açores


Subtitled in EN/PT

Click upon the small wheel at the right side of the video and choose your language.


xmas





“Glory to God in the highest,

and on Earth

Peace, Good Will toward men.”

This Christmas, Give Peace