Friday, March 30, 2018

PT -- GUERRA NUCLEAR: 7.1 A Europa no rearmamento nuclear do Prémio Nobel da Paz

MANLIO DINUCCI



“Copyright Zambon Editore”


GUERRA NUCLEAR
O PRIMEIRO DIA
De Hiroshima até hoje:
Quem e como nos conduzem à catástrofe

Capítolo 7

A EUROPA SUL
FRENTE NUCLEAR

7.1  A Europa no rearmamento nuclear do Prémio Nobel da Paz

Ao mesmo tempo que dá início ao golpe de Estado na Ucrânia, e que a reacção dos acontecimentos em cadeia provoca na Europa um novo confronto com a Rússia, a Administração Obama aprova o maior programa de rearmamento nuclear do fim da guerra fria. Documenta-o, em Setembro de 2014, um amplo artigo do New York Times: A Administração Obama está a investir dezenas de biliões de dólares na modernização e reconstrução do arsenal nuclear e nas instalações nucleares americanas». Mérito do mesmo Presidente Barack Obama, que cinco anos antes, em 2009, foi galardoado com o Prémio Nobel da Paz, graças à «sua visão de um mundo livre de armas nucleares, e ao trabalho desenvolvido por ele nesse sentido, que estimulou poderosamente o desarmamento».

Para a «modernização» do arsenal nuclear foi construído, em Kansas City, uma nova fábrica enorme, maior do que o Pentágono, onde milhares de funcionários, dotados de tecnologias do futuro, desenvolvem armas nucleares novas, testando-as com sistemas avançados que não requerem explosões subterrâneas. A fábrica de Kansas City faz parte de um «complexo nacional em expansão, para o fabrico de ogivas nucleares», composto de oito fábricas e laboratórios, com um pessoal superior a 40 mil especialistas. Em Los Alamos, no Novo México, é iniciada a construção de uma nova fábrica de grandes dimensões para a produção de plutónio para ogivas nucleares e, em Oak Ridge, no Tennessee, está a edificar-se outra, para a produção de urânio enriquecido para uso militar. No entanto, os trabalhos foram atrasados pelo facto de, em dez anos, o custo do projecto ter subido de 660 milhões para 5,8 biliões de dólares e o de Oak Ridge de 6,5 para 19 biliões de dólares.

A Administração Obama apresentou, na totalidade, 57 projectos de melhoramento de instalações nucleares militares. O custo está estimado em 335 biliões de dólares em dez anos. Mas é, apenas, a ponta do iceberg. Ao custo das instalações junta-se o dos novos transportadores nucleares.

Assim, é iniciado pela Administração Obama, um novo programa de armamento nuclear que, segundo um estudo do Monterey Institute, virá a custar (ao valor actual do dólar) cerca de um trilião de dólares, resultando como despesa no período 2024-2019.

O processo de «modernização» das forças nucleares americanas abrange, inevitavelmente, os países europeus da NATO. A função das armas nucleares na Aliança está esclarecida no «Conceito Estratégico 2010» que enuncia os objectivos do decénio 2010-2020. O documento afirma que «enquanto existirem armas nucleares, a NATO permanecerá uma aliança nuclear». Sublinha, desta maneira que, «a garantia suprema de segurança da Aliança é fornecida pelas forças nucleares estratégicas da Aliança.»

A seguir:
7.2  Itália: porta-aviões nuclear USA/NATO no Mediterrâneo

Ler este sub-capítulo e os capítulos precedentes em

Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos

No comments:

Post a Comment

FOX NEWS

MANLIO

TRIBUTE TO A PRESIDENT


NA PRMEIRA PESSOA

Um auto retrato surpreendentemente sincero do Presidente da Rússia, Vladimir Putin

CONTEÚDO

Prefácio

Personagens Principais em 'Na Primeira Pessoa'

Parte Um: O Filho

Parte Dois: O Estudante

Parte Três: O Estudante Universitário

Parte Quatro: O Jovem especialista

Parte Cinco: O Espia

Parte Seis: O Democráta

Parte Sete: O Burocrata

Parte Oito: O Homem de Família

Parte Nove: O Político

Apêndice: A Rússia na Viragem do Milénio





Pigeon's comment: I'm very lucky to have the chance to meet my leader
 ...


Daniele Ganser

Açores


Subtitled in EN/PT

Click upon the small wheel at the right side of the video and choose your language.


xmas





“Glory to God in the highest,

and on Earth

Peace, Good Will toward men.”

This Christmas, Give Peace